OCP - Organismo de Certificação de Pessoas

Apresentação

A implementação do Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios, (SCE), a regulamentação Nacional e Comunitária respeitante às Substâncias que empobrecem a Camada de Ozono e aos Gases Fluorados com Efeito de Estufa, bem como mais recentemente a directiva relativa à promoção da utilização de energia proveniente de fontes renováveis veio impor ao sector do AVAC&R um acréscimo de competências exigidas aos seus técnicos, implicando a sua Credenciação/ Certificação obrigatória.

Esta obrigatoriedade reflecte-se necessariamente nas empresas do sector, que terão forçosamente que investir na Certificação dos seus colaboradores a operar no terreno. Pese embora o esforço financeiro que estas obrigações possam trazer, será este um passo para marcar a diferenciação, promovendo a competitividade e contribuindo para a regulação de um sector com a especificidade do AVAC&R.

Nesse sentido, entendeu-se ser fundamental a existência de uma entidade independente para certificar a competência destes técnicos.

O sistema de certificação de pessoas encontra-se desenvolvido de acordo com a Norma NP EN ISO/IEC 17024 Requisitos Gerais para Organismos de Certificação de Pessoas (OCP).

Missão

O OCP do CENTERM, tem por Missão assegurar a Certificação profissional de Técnicos, nas áreas abrangidas pela Indústria Térmica, Energia e Ambiente, compreendendo a realização de Exames de certificação, contribuindo para o reconhecimento das competências dos profissionais do sector, marcando a diferenciação, promovendo a competitividade e a regulação de um sector com a especificidade como o abrangido por estas áreas de actividade económica.

Visão

O OCP do CENTERM tem por Visão ser um Organismo Certificador de referência na área em que opera, proporcionando um serviço de excelência e garantindo a satisfação de todos aqueles que recorram aos seus serviços.

Valores

O OCP do CENTERM tem como Valores, a Excelência e Inovação dos serviços ao promover a competitividade das empresas a par com o desenvolvimento do potencial humano através da qualificação para o desempenho. Responsabilidade social ao promover a qualificação profissional, no sentido de melhorar e atestar as competências e conhecimentos, assim como a inserção profissional, respeito pelos direitos humanos e promoção da igualdade de oportunidades.

Política de Qualidade

É objectivo do OCP desenvolver um Sistema de Certificação de Pessoas, com base em metodologias e procedimentos próprios que interpretem e cumpram as especificações legais em vigor e os documentos normativos aplicáveis.

É propósito da sua política da Qualidade proporcionar um serviço de excelência, isto é, garantir a satisfação contínua de todos aqueles que recorrem aos serviços de Certificação.

O envolvimento de todos os elementos do OCP é um aspecto fundamental na concretização de todos os objectivos estabelecidos.

É garantido pelo OCP a prestação da actividade de Certificação de forma não discriminatória assegurando a existência de qualquer circunstância condicionante ou impeditiva do acesso de candidatos à actividade de certificação.

Política Conflito de Interesses

Sendo o CENTERM uma estrutura que tem na sua raiz estatutária diversas instituições que promoveram a sua criação face às necessidades legais sentidas no sector e à importância de definir e certificar boas práticas em diversos domínios, a existência de relações institucionais entre o CENTERM e as entidades que estão na sua génese não pode nem deve ser negada, já que constitui em si mesmo uma mais valia capaz de conferir pertinência a toda a acção que o CENTERM tenha que desenvolver. Não se poderá assim negar a existência de interesses comuns entre o CENTERM e as instituições que o originam, sendo no entanto inegável a necessidade de gerir com rigor o eventual conflito de interesses que possa surgir nessa relação.

Os quadros seguintes podem definir esta eventualidade:
  • Ao nível da actuação dos colaboradores – Dada a natureza institucional do Organismo para a Certificação de Pessoas (OCP) e a profunda implicação que as suas decisões podem ter, não só no plano profissional dos candidatos que a ele recorram mas também no tecido empresarial, importa balizar a sua actuação no plano da transparência de processos, nomeadamente os que respeitam ao cruzamento de interesses a que os seus colaboradores podem estar expostos de forma explicita ou implícita. Neste cruzamento de interesses estão envolvidas as acções que possam desencadear enquanto actores no âmbito do OCP e situações potencialmente geradoras de conflito no plano pessoal ou profissional externas ao Organismo.
  • Ao nível da relação entre instituições – os responsáveis pelas instituições envolvidas, CENTERM e outras, deverão pautar a sua actuação de forma a garantir a completa isenção por parte dos responsáveis pelas tomadas de decisão. Esta garantia formaliza-se através de: a) estrito respeito pelas normas estabelecidas; b) transparência de procedimentos que venham a ser definidos; c) responsabilização dos intervenientes no processo avaliativo; d) entendimento de que a isenção nos procedimentos é uma condição indispensável para o bom funcionamento do OCP do CENTERM; e) respeito pelas decisões tomadas.
  • Ao nível das actividades – A estrutura do OCP do CENTERM, na dependência directa da Direcção do CENTERM, assegura a sua independência face a outras estruturas do CENTERM, que eventualmente possam configurar situações de conflito de interesses. Por outro lado O OCP do CENTERM assume que lhe estão vedadas quaisquer actividades que, de forma directa ou indirecta, possam estar ligadas a actividades de formação ou consultoria, e que possam comprometer os princípios de imparcialidade e de independência de todos os serviços prestados pelo OCP do CENTERM.
  • Ao nível Financeiro/ Comercial – O OCP do CENTERM pratica uma politica de preços que obedece a uma tabela publicada e de cumprimento obrigatório, não sendo permitida qualquer diferenciação estranha ao que se encontra estabelecido na mesma. Desta forma, em termos comercias, assegura-se a igualdade de tratamento para requerentes, candidatos e pessoas certificadas.

Importa, assim, estabelecer um mecanismo que regule estas possibilidades de conflito e que possa constituir, quer para o exterior quer para defesa dos próprios colaboradores e da clareza interna dos processos, um referencial exigente e aceite por todas as partes envolvidas.

Nesse sentido, e sem prejuízo da necessária boa atenção que deve ser dada a outras potenciais situações de conflito de interesses, a matriz apresentada neste documento, faz um resumo das situações de conflito mais pertinentes:

Consulte aqui o Documento

Declaração de Imparcialidade

Desde a criação do CENTERM que sempre nos norteamos e defendemos a imparcialidade.

A imparcialidade é ainda o não permitir que a posição, a eloquência, a riqueza, o suborno, ou, o sentimentalismo prejudiquem ou beneficiem seja quem for. A imparcialidade assegura que todos são tratados em harmonia com o que é equânime.

Acreditamos que o saber se pode avaliar de diferentes formas e em diferentes contextos. Por isso, a avaliação das competências deve levar em consideração o que de facto é mais adequado para servir as pessoas certificadas e o público por eles impactado, nunca pondo em causa a pessoa envolvida, terceiros ou os interesses que os rodeiam.

Assim, a Direcção do CENTERM considera que a imparcialidade constitui um objectivo estratégico na certificação de pessoas.

Dada importância de que se reveste a imparcialidade para a Direcção do CENTERM, publicamos a presente declaração para explicitar à nossa equipa (pessoal administrativo, examinadores e dirigentes) e aos nossos clientes (candidatos à certificação e pessoas certificadas), que as nossas opções serão sempre baseadas na Politica da Qualidade, no que é de facto o melhor para cada um deles, independentemente de outros interesses que possam emergir de relacionamentos, actividades e colaboradores envolvidos e suportados em critérios de equidade e integridade.

Analisada e validada pela Direcção do CENTERM e pelo Conselho Consultivo em 18 de Dezembro de 2013

Organograma



Porquê Escolher o CENTERM?

O processo de Certificação CENTERM, será sempre baseado em exames teórico/práticos e o custo do exame dependerá do tipo de certificação em causa e de eventuais créditos de outras certificações já adquiridas.

Certificacão
Fluorados

Acreditação IPAC NP EN ISO/IEC 17024

Ver Listagem
Certificacão
Inflamáveis

Acreditação IPAC NP EN ISO/IEC 17024

Ver Listagem
Certificacão
Climatização

Organismo de Certificação de Pessoas

Ver Listagem
3974

Técnicos Certificados Fluorados

81

Técnicos Certificados Inflamáveis

87

Técnicos Certificados Climatização